Espaço do aluno:

Notícias

Dificuldade em se concentrar para estudar? Veja o que fazer

@Fonte: Guia do Estudante

Quarta, 11 de mar�o de 2020

É preciso ficar atento para não deixar uma pequena distração atrapalhar os seus estudos

Um minuto perdido pode não alterar seu desempenho nos exames, mas uma pequena distração de 60 segundos pode transformar algo em 20 minutos, uma hora, três horas … ou o resultado pode ser muito prejudicial.

Descansos fazem parte da rotina até do mais empenhado estudante, é óbvio. Dar uma olhada no celular, assistir a um filme, fazer uma caminhada podem melhorar sua energia, inclusive. O problema ocorre quando o limite e a falta de compromisso permanecem do lado e uma pequena distração tira totalmente o seu foco.

É importante ficar atento a certos sinais de excessos e hábitos que podem prejudicar sua concentração e transformar um dia de estudos em um dia perdido. Para ajudar nessa missão, conversamos com Vitor Ricci e Marcelo Dias, coordenadore de cursos.

- Redes sociais, celular e música

Segundo Vitor, para uma geração que vive conectada, redes sociais são a principal distração. O estudante tem quase toda a sua vida no celular. “O aparelho guarda suas redes, seus amigos, algum jogo que custa.” Estar ‘antenado’ com mensagens e notificações desvia o foco de estudos e reduz o tempo de pesquisa “, diz.

Ele explica que, inconscientemente, alguns estudantes usam o celular como válvula de escape: uma forma de fugir de uma matéria da qual não gosta muito ou da frustração por não conseguir resolver um problema. Mas é importante ter disciplina.

“O estudante pensa que não tem problema olhar apenas uma mensagem que acabou de chegar. Mas depois que chega a primeira, vêm as outras. Para se concentrar, ele precisa estar dedicado àquela atividade e a mais nenhuma outra”, completa Marcelo.

A dica dos especialistas é deixar o celular em outro cômodo para que não haja perda de concentração. Para os que não têm esse autocontrole, existem aplicativos para bloqueio das notificações e que limitam o uso do dispositivo por períodos determinados.

Outro fator que gera dúvidas nos estudantes é se a música atrapalha a concentração ou pode ajudar. A verdade é que isso é algo muito pessoal.

Alguns sentem-se incomodados quando estudam em ambientes de silêncio absoluto. Por isso, se a música não for uma distração, não há problemas. “Uma dica: se ele percebe que está cantarolando durante o seu estudo, é melhor desligar a música e voltar ao silêncio”, diz Vitor.

- Saiba intercalar

Uma técnica indicada para quem tem dificuldade de se concentrar por tanto tempo é chamada “Pomodoro”. “Ela permite aumentar o foco em tarefas, reduzindo distrações e ansiedade”, explica Vitor. De forma bem simples, a ideia desse método é dividir e intercalar o tempo em intervalos de esforço (estudo) e relaxamento (recompensa).

Por exemplo: um estudante define que vai estudar por 40 minutos uma determinada disciplina. Nesse período, o foco total está em estudar, 100% da atenção nos livros, sem qualquer tipo de interrupção. Quando conclui essa tarefa, faz uma pausa de 5 ou 10 minutos para mexer no celular, tomar um café, ir ao banheiro… E, dessa forma, ele vai intercalando momentos de estudo com pausas para descansar.

- O descanso também precisa acontecer

Seu desempenho nas provas irá depender muito da sua dedicação, mas não é por isso que ela precisa ocorrer em tempo integral. Ou melhor, saber a hora de descansar é, afinal, uma forma de se dedicar. O estudo intenso, sem qualquer tipo de descanso, é prejudicial.

“Além da queda de produtividade que ocorre naturalmente, o estudante sofre com o estresse físico e mental com esse tipo de rotina. Um ano de preparação para o vestibular é uma maratona, e não uma corrida de 100 metros”, diz Vitor.

Ou seja, o ideal é manter um ritmo de estudos constante, guardando energia para a arrancada no final do ano, quando os estudantes serão mais cobrados.

Marcelo explica que muitos estudantes acabam desistindo de estudar um determinado conteúdo por causa do cansaço. Então é melhor descansar antes disso acontecer. “Se começou a estudar, mas percebeu que está muito mal, para um pouquinho, descansa, relaxa”, diz.

- Dicas

Tudo começa com a escolha de um local de estudos adequado. É importante ter um ambiente confortável para estudar (tomando o cuidado para não ser confortável demais e perder o seu foco) e sem distrações. “Esse local precisa ser organizado e ter tudo o que o estudante vai utilizar: cadernos, livros, estojo… para evitar interrupções buscando materiais que não estão ali”, diz Vitor.

Para os estudantes que têm dificuldade para focar é bom começar com poucas horas de concentração. “Em vez de estudar cinco horas, por exemplo, comece estudando duas. E se isso render, pode esticar um pouquinho mais. O importante é encontrar uma quantidade de horas que ele suporta ficar bem concentrado”, explica Marcelo.

Para quem estuda em casa, também é importante conversar com os familiares e fazer alguns combinados. A família pode ajudar de forma simples, impedir interrupções ou deixar as tarefas domésticas para depois dos estudos, se possível.